O Portal Africano sobre Desigualdades e Transformação Estrutural é uma recurso de conhecimento online para assuntos relacionados com a desigualdade. O portal oferece acesso aberto a um conjunto de funcionalidades incluindo uma biblioteca online; um recurso para opinião e análise; um directório de peritos; um calendário de eventos internacionais; todos com o objectivo de equipar os utilizadores com investigação e informações sobre os assuntos políticos actuais de África relacionados com as desigualdades. Uma funcionalidade da página é a colecção da biblioteca online com jornais e documentos digitais relacionados com os assuntos políticos sobre a desigualdade Africana. Todo o repositório online tem acesso aberto e está disponível para descarregamento dos textos completos gratuitamente. Uma grande parte dos documentos digitais estão ligados à sua fonte principal online. O Portal Africano sobre Desigualdades e Transformações Estruturais tem como objectivo melhorar o acesso e visibilidade para a investigação Africana. O portal foi tornado possível através do esforço colaborativo das seguintes organizações:

Governo do Gana 

O Governo do Gana representado pela Comissão Nacional de Planeamento do Desenvolvimento, pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e Integração Regional, Ministério das Finanças e pelo Ministério do Género, Crianças e Protecção Social.

Conselho Para o Desenvolvimento da Investigação em Ciências Sociais em África 

O Conselho para o Desenvolvimento da Investigação em Ciências Sociais em África (CODESRIA) está sedeado em Dacar, Senegal. Foi estabelecido em 1973 como uma organização de investigação pan-Africana focada principalmente na investigação em ciências sociais em África.
A missão do CODESRIA requereu o nascimento de uma comunidade pan-Africana de investigadores, a protecção da sua liberdade e autonomia intelectual no desempenho das suas funções e a eliminação das barreiras relativas à linguagem, disciplina, religião, género e geração.

Instituto de Investigação Estatística, Social e Económica 

Estabelecido em 1962, o Instituto de Investigação Estatística, Social e Económica (ISSER) está baseado na Faculdade de Ciências Sociais da Universidade do Gana. A missão do ISSER é levar a cabo actividades que promovam o desenvolvimento socioeconómico do Gana em particular e de África em geral. Especificamente, o Instituto executa investigação em ciências sociais e promove o desenvolvimento de recursos humanos através de formação pós-graduada em Estudos de Desenvolvimentos e cursos de curta-duração. O ISSER também monitoriza e avaliação os efeitos de políticas, projectos e programas de desenvolvimento tanto em termos dos seus objectivos e das consequências gerais.
A carteira de investigação do ISSER cobre uma vasta gama de assuntos, incluindo a concepção, monitorização e avaliação do desenvolvimento; as dimensões sociais do VIH/SIDA; problemas de género; financiamento dos cuidados de saúde; aspectos comportamentais dos cuidados de saúde; opções de política económica; tecnologia da informação; estudos multidisciplinares e sobre população. Desde 1992, o ISSER publicou o Relatório do Estado da Economia Ganesa anualmente. O relatório aborda as políticas fiscais, desenvolvimentos monetários e financeiros, comércio internacional e pagamentos, desempenho dos sectores agrícola, industrial e dos serviços. Outras publicações-chave do Instituto são Relatórios Técnicos, Documentos de Debate e Seminário, Relatórios Especiais e Informações de Política

Sociedade para o Desenvolvimento Internacional 

A Sociedade para o Desenvolvimento Internacional (SID) é uma rede global de indivíduos e instituições relacionada com o desenvolvimento, que é participativa, pluralista e sustentável. A Sociedade foi fundada em Washington D.C. em 1957 e está baseada em Roma desde 1978. Através dos seus programas e iniciativas, organizadas em centros-chave da tomada de políticas de desenvolvimento no Norte e no Sul, a SID desempenha uma papel crucial na promoção do diálogo entre as várias partes interessadas e grupos de interesse, tanto local como internacionalmente. Através dos seus programas, a SID tem como objectivo posicionar a instituição como ponto de reflexão líder sobre assuntos de desenvolvimento, uma instituição que junta pontos de vista e experiências diversas de todo o espectro do esforço humano. O que torna a SID um actor único a arena do desenvolvimento é a sua rede de mais de 3000 membros em 80 países e 45 capítulos locais. Trabalha com mais de 100 associações, redes e instituições envolvendo académicas, parlamentares, estudantis, líderes políticos e peritos de desenvolvimento, tanto ao nível local como internacional. Isto torna a SID uma das poucas organizações que tem uma abordagem holística, multidisciplinar e multi-sectorial ao desenvolvimento e mudança social.

A Campanha do Milénio das Nações Unidas 

A Campanha do Milénio das Nações Unidas foi estabelecida pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, em 2002 para apoiar a participação dos cidadãos no atingimento dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, adoptada por 189 líderes mundiais de países ricos e pobres, como parte da Declaração do Milénio que foi assinada em 2000. Desde 2002, a iniciativa trabalhou com parceiros das Nações Unidas e grupos-chave globais, tais como a sociedade civil, parlamentares, grupos de fé e de jovens para inspirar as pessoas de todo o mundo a agirem para o atingimento dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio até 2015. Agora, a Campanha defende o aumento dos esforços para promover efectivamente um maior apoio aos ODM, e é mais crítico do que nunca que estes permaneçam uma prioridade na agenda política e pública. Nós trabalhamos sublinhando o seu impacto e que eles continuam a ser um investimento robusto e valioso para todos na luta contra a pobreza global. Adicionalmente, a Campanha do Milénio das Nações Unidas está envolvida no processo pós-2015. A Campanha do Milénio das Nações Unidas está baseada em Nova Iorque, com equipas a trabalhar em África, na Ásia e na Europa.

O Fundo para as Crianças das Nações Unidas (UNICEF) 

O Fundo para as Crianças das Nações Unidas (UNICEF) é um Programa das Nações Unidas sedeado em Nova Iorque, que fornece assistência humanitária e desenvolvimento a longo prazo a crianças e mães nos países em desenvolvimento. É um dos membros do Grupo de Desenvolvimento das Nações Unidas e do seu Comité Executivo. A UNICEF foi criada para fornecer cuidados de saúde e alimentação de emergência às crianças nos países que foram devastados pela Segunda Guerra Mundial. A maior parte do trabalho da UNICEF é no terreno, com funcionários em mais de 190 países e territórios. Mais de 200 escritórios nacionais levam a cabo a missão da UNICEF através de um programa desenvolvido com os governos anfitriões. Dezassete escritórios regionais fornecem assistência técnica aos escritórios nacionais, conforme necessário. A Divisão de Abastecimento da UNICEF está baseada em Copenhaga e serve como ponto de distribuição principal para artigos essenciais como vacinas, medicamentos anti-retrovirais para crianças e mais com VIH, suplementos nutricionais, abrigos de emergência e suprimentos educativos entre outros. Um Conselho Executivo de 36 membros estabelece políticas, aprova programas e supervisiona planos administrativos e financeiros.

Third World Network Africa 

A Third World Network Africa (TWN-Af) é uma organização de investigação e defesa dos direitos Pan-Africana baseada em Accra, Gana e envolvida em problemas relacionados com o desenvolvimento, o ambiente e assuntos Norte-Sul. A TWN-Af procura uma maior articulação das necessidades e direitos dos grupos sociais marginalizados, uma distribuição justa dos recursos mundiais e formas de desenvolvimento que sejam ecologicamente sustentáveis e preencham as necessidades humanas. A principal publicação da TWN, African Agenda, procura levar a África e ao mundo histórias e perspectivas do desenvolvimento de África que sublinhem os nossos objectivos.

UNDP 

O Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (UNDP) é a rede de desenvolvimento global das Nações Unidas. Defende a mudança e liga os países ao conhecimento, experiência e recursos para ajudar as pessoas a construir uma vida melhor. O UNDP opera em 177 países, trabalhando com as nações nas suas próprias soluções para os desafios de desenvolvimento globais e nacionais. À medida que desenvolvem a capacidade local, aproveitam às pessoas do UNDP e a sua vasta gama de parceiros.

O UNDP é um conselho executivo dentro da Assembleia Geral das Nações Unidas. O Administrador do UNDP é o terceiro funcionário na hierarquia das Nações Unidas após o Secretário-Geral das Nações Unidas e o Secretário-Geral Adjunto.

Sedeado em Nova Iorque, o UNDP é financiado na totalidade por contribuições voluntárias das nações membro. A organização tem escritórios nacionais em 177 países, onde trabalha com os governos locais para atingir os desafios de desenvolvimento e desenvolver a capacidade local. Adicionalmente, o UNDP trabalha internacionalmente para ajudar os países a atingirem os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM). Actualmente, o UNDP é uma das principais agências das Nações Unidas envolvidas no desenvolvimento da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015.
O UNDP fornece aconselhamento, formação e concede apoio aos países em desenvolvimento, com ênfase crescente na assistência aos países menos desenvolvidos. Para cumprir os ODM e encorajar o desenvolvimento global, o UNDP foca-se na redução da pobreza, VIH/SIDA, governação democrática, energia e ambiente, desenvolvimento social e prevenção e recuperação de crises. O UNDP também encoraja a protecção dos direitos humanos e a capacitação das mulheres em todos os seus programas.

Adicionalmente, o Gabinete do Relatório do Desenvolvimento Humano do UNDP publica um Relatório de Desenvolvimento Humano anual (desde 1990) para medir e analisar o progresso do desenvolvimento. Adicionalmente ao relatório global, o UNDP publica Relatórios de Desenvolvimento Humano regionais, nacionais e locais.

Comissão Económica das Nações Unidas para África 

ECA A Comissão Económica das Nações Unidas para África foi estabelecida em 1958 como uma das cinco comissões regionais das Nações Unidas. O mandato da ECA é promover o desenvolvimento económico e social dos seus Estados-Membro, fomentar a integração intra-regional, e promover a cooperação internacional para o desenvolvimento de África. Como única agência das Nações Unidas mandatada para operar aos níveis regional e sub-regional para apoiar as prioridades de África, a ECA desempenha uma dupla função como braço regional das Nações Unidas e como componente-chave da paisagem institucional Africana. Constituída por 54 Estados-Membro, a ECA está por isso bem posicionada para efectuar contribuições únicas para resolver os desafios de desenvolvimento do Continente. Através das suas publicações, tal como o Relatório Económico sobre África, a Comissão dissemina boas práticas de aspectos específicos da gestão económica em África. A ECA defende consistentemente uma estrutura política macroeconómica robusta que apoie o crescimento inclusivo, o desenvolvimento do sector privado, o emprego, a adição de valor, a transformação económica e o desenvolvimento sustentável. Em 2012, sob a liderança do seu novo Secretário-Executivo e do Sub-Secretário Geral Dr. Carlos Lopes, a ECA executou um grande processo de reestruturação e reorientou a sua acção de forma a reforçar o seu papel como grupo de pensamento continental sobre política macroeconómica, comércio regional e integração, desenvolvimento de política social e estatísticas. Está a ser dado especial ênfase à recolha de estatísticas regionais actualizadas para basear as actividades de investigação política e defesa dos direitos em evidências claras e objectivas. O mandato da ECA inclui a promoção do consenso político; o fornecimento do desenvolvimento de capacidades com propósito; e o fornecimento de serviços de consultoria no seus campos temáticos chave. MDP-RPS A Divisão de Política Macroeconómica (MPD) da ECA centra-se na geração de conhecimento inovador e relevante para a política através de investigação aplicada que apoia a agenda de transformação de África. O apoio é fornecido aos Estados-Membro na formulação e implementação de políticas orientadas para o atingimento dos ODM e a promoção da graduação dos Países Sub-Desenvolvidos (LDC) de África. Através da sua Secção de Renovação do Planeamento, a ECA está envolvida no reforço das capacidades dos Estados-Membro para conceberem, implementarem, monitorizarem e avaliarem planos e estratégias inovadoras que possam levar a um crescimento inclusivo, sustentável e transformador.  As práticas de planeamento em África e noutras partes são revistas periodicamente pela ECA de forma a compilar as lições aprendidas e as boas práticas para serem popularizadas entre os clientes e partes interessadas através de exercícios de aprendizagem com pares, e mecanismos de partilha de conhecimento.